Será que a doença é sempre um mal?

Edward Bach foi um médico inglês que fundou o sistema de essências florais batizado em sua homenagem. Ele nasceu em 24 de setembro de 1886 e este artigo tem como propósito homenagear o seu aniversário, refletindo sobre a sua visão de saúde e bem-estar.

Uma das contribuições do Dr. Bach para uma visão holística da cura foi a ideia de que a doença em si mesmo não é maléfica, podendo ser interpretada como um benefício a partir de um olhar não materialista da existência.

A vida de um indivíduo comparada com a experiência escolar, é como se fosse apenas um dia na sala de aula. A Alma tem muito a aprender e assim como o estudante, frequenta vários dias os bancos escolares, vivendo, assim muitas vidas até completar a sua formação.

Cada Alma tem um propósito divino de evolução neste plano terrestre, no entanto, quando ocorre um desvio nesse caminho de aprendizagem, a Alma sinaliza pode sinalizar esse fato por meio da doença. Dessa forma, a doença seria benéfica para o Dr. Bach, pois seria uma mensageira da Alma para o ego de que ajustes são necessários.

A causa da doença é o conflito entre a personalidade (ego) e a Alma, quando o ego se recusa a atender os ditames divinos de evolução. A manifestação da doença no corpo físico é o sintoma e tratá-lo sem considerar a sua origem não resulta em cura, mas em um paliativo.

Entretanto, esse conflito pode ser referente a outras vidas, uma vez que a evolução da Alma ocorre em um processo contínuo de muitos dias na escola, cada um desses correspondente a uma encarnação.

Assim, é preciso acolher com compaixão e sem nenhum tipo de julgamento as doenças que possam acometer a nós mesmos e aos outros. Mais ainda, há que ter gratidão pela mensagem, pois, sem ela, nossa Alma poderia ter se desviado do caminho da Luz.

O próprio Dr Bach, defensor dessa visão, teve a saúde muito frágil durante toda a sua vida, segundo a sua biografia. Ao propor a doença como benefício, o seu lugar não era de alguém imune à dor, mas sim de quem desfrutava de sua intimidade, não só na própria carne, como também tratando de feridos de guerra.

Não se trata aqui de endeusar a doença, mas sim de lançar luz sobre a verdadeira natureza da saúde, que supera a expectativa de vida material. Ser saudável, de acordo com a visão do Dr Bach, é seguir os ditames da Alma.

Você já pensou a respeito? Deixe suas impressões nos comentários.

Compartilhe
Categoria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *