No mundo da Lua

A Lua é um satélite do planeta Terra, por isso, intimamente ligada ao nosso cotidiano. Desponta no céu noturno para iluminá-lo, não com luz própria, doando de si, o que não possui, em quatro fases diferentes: nova, crescente, cheia e minguante.

O que seria dos poetas sem o luar? Como buscar a inspiração dos versos sem a tênue luz prata a guiá-los? Sim, muitas vezes atribui-se o dom da criatividade à Lua, afinal. Às vezes é tanta imaginação que quando sonhamos acordados, se diz que vivemos “no mundo da Lua”.

Enquanto a luz solar favorece a transparência e a discriminação dos fatos, revelando o que é oculto, à noite todos os gatos são cinzas e as matizes se confundem.

Além disso, geralmente, em circunstâncias naturais do ciclo circadiano, o sono reparador ocorre sob sua proteção e nesse estado profundo de relaxamento sonhamos coisas improváveis, mas que sentimos como realidade.

Se à noite a Lua vela o nosso sono, onde estará o astro durante o dia luminoso e claro regido pelo Sol? Do outro lado do mundo, oras, banhando de prata os habitantes de lá.

Diante dos atributos lunares apresentados: intimidade, cotidiano, doar de si o que não possui (traduzindo: Mãe), inconstância (4 fases, 4 formas), criatividade, rebaixamento do nível de consciência de vigília (sono, sonho), foi escolhido este último para tratar da relação da Lua no mapa astral com os hábitos, tema ainda pouco explorado no campo astrológico.

Muitas vezes, privilegia-se a posição solar, o signo do horóscopo amplamente divulgado pela mídia, sem sequer considerar a importância da Lua e seu signo regente como determinante das principais características da personalidade astrológica.

Segundo Wendy Wood, autora de Good habits, bad habits, 43% do que fazemos todos os dias são ações repetitivas, enquanto estamos pensando em outra coisa, ou seja, não estamos tomando decisões, apenas agindo de maneira automática, ou melhor dizendo, habitual*.

Considerando a média de sono diária por volta de 8 horas, restam 16 horas de consciência desperta, mas aplicando-se o estudo de Wood, essas horas seriam reduzidas para cerca de 2 horas!

Agora, pare e reflita: vivemos ou não no mundo da Lua?

Acompanhe em nosso canal do YouTube a nova série sobre o signo lunar, estreia em 09/08/20.

Compartilhe
Categoria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *