Genética e Astrologia nem sempre são deterministas

O sequenciamento genético é conhecido como o código da vida, entretanto, nem sempre ele atua como destino no sentido de determinar inexoravelmente o desenvolvimento de uma patologia.

A ciência da epigenética tem desenvolvido estudos que demonstram que o comportamento humano e o ambiente são fatores condicionantes para a ativação ou não de determinado gene.

Essa é uma boa notícia, pois é possível adotar medidas preventivas para conter a ativação genética de determinadas patologias e viver de maneira saudável, mesmo quando se herdou o gene da doença.

Dessa forma, a herança genética não é o único determinante do nosso destino enquanto indivíduo. Aquilo que você faz a com a sua herança, ou seja, como você cuida do seu patrimônio genético faz a diferença para mais ou para menos em relação à sua qualidade de vida.

Por outro lado, uma pré-disposição genética para musicalidade decorrente de uma virtude auditiva excepcional pode não se desenvolver como talento, se não encontrar o ambiente propício para sua expressão e nem o estímulo adequado.

Assim, tanto a prevenção como a estimulação assumem um papel importante diante do determinismo da hereditariedade.

Nesse sentido, a epigenética demonstra o valor do autoconhecimento para mapear riscos e potenciais e, principalmente adotar ações de autocuidado paliativas ou estimulantes.

A herança genética não é uma sina que determina inexoravelmente o seu destino, mas uma possibilidade de construção conjunta entre você e o ambiente, mediante alguns fatores comportamentais estabelecidos.

A Astrologia obedece a princípios semelhantes. Os astros e signos, assim como o DNA, podem ser ativados pela influência do meio, no sentido de amenizar aspectos conflitantes e realçar potenciais e características positivas.

Se você nasceu com o Sol conjunto à Marte, por exemplo, é possível adotar padrões comportamentais que equilibrem a tendência a ser impaciente. Por outro lado, nem todos os nativos com Vênus em Peixes podem expressar plenamente o potencial artístico, se não encontrarem um ambiente que favoreça a sua manifestação.

Assim como o mapeamento do DNA enriqueceu o entendimento sobre a saúde do corpo, o mapa astral pode contribuir com a compreensão da alma, desvendando pontos de atenção para o autocuidado e potenciais a serem estimulados.

Se você ainda não conhece o seu mapa astral, apresento uma grande oportunidade de desvendar o código da sua Alma neste link.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *