NÓS ≠ EU + OUTRO

Uma relação é como um composto químico de forma que as suas propriedades diferem dos elementos que lhe deram origem. A água, por exemplo, é composta por Hidrogênio e Oxigênio, que isolados ou combinados com outros elementos produzem compostos com características distintas. O Hidrogênio pode produzir ácido sulfúrico ou amônia, substâncias bem diferentes da água.

Quando nos relacionamos com alguém formamos uma combinação única, podemos ativar o melhor ou pior do outro, assim como oferecer aspectos positivos ou negativos da nossa personalidade.

Assim, uma relação doentia não implica necessariamente negatividade das duas partes, mas que a combinação não foi harmônica. Uma relação sadia implica em complementariedade, mas, sobretudo em equilíbrio. O respeito à individualidade das partes, bem como a harmonia do vínculo.

“O vínculo conjugal é por excelência um vínculo paradoxal. Precisamos do outro para sabermos quem somos. Mas também nascemos para a nossa individuação. Precisamos ser o que somos, independente do outro”. (Vargas, 1989)

VARGAS, N. S. O casamento e a família como caminho de individuação. Junguiana, São Paulo, v. 7, p. 123 – 144, 1989.

#30ideias30dias

day2

Compartilhe
Categoria:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *